Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

15
Nov07

A escolha.

Marco
Naquela conversa, tantas questões impossíveis, a complexidade da palavra escolha e nela uma vida em suspenso perante os caminhos que se lhe deparam, à minha frente, tão perto e eu tão longe de uma resposta capaz, olhando-me a mim mesmo sem nada ver, nos olhos do meu grande amigo, uma escuridão tremenda e eu a correr na noite, num buraco escuro, as frases a saírem-me automáticas e eu ainda mais longe, ao sabor de novas perguntas que também pergunto todos os dias e a palavra escolha sempre lá, última fronteira entre presente e um futuro que parece nunca querer chegar, feito utopia errante, perdida.

Falava-me de razão e emoção, dois caminhos e eu emoção, sempre emoção que não gosto cá de contas nem explicações, fazem-me confusão as vidas presas a tremendos nadas que perfeitos no papel porque confortáveis, garantidos, aceites, sentimentos esmagados por uma razão sem emoção e eu emoção, sempre emoção, quem me conhece sabe disso, mais perguntas, mais histórias, eu a ouvir, a responder respondendo-me a mim, ao que sabia ser a minha história, capítulos sucessivos, repetidos na boca dele em questões impossíveis de responder e a palavra escolha, no fim de tudo, a escolha, a derradeira fronteira.

Hoje aqui, recordo essa conversa e sei que a resposta será razão, contas feitas talvez o caminho mais seguro como me dizias ontem e não te condeno por isso, não sou ninguém para o fazer, desde que te dês bem eu estou bem, sou teu amigo e sabes disso, a escolha é mesmo assim, difícil, quase cruel, é abdicar, é assumir, dar a cara, é saber que algo para trás, é travo a adeus, mas é assim mesmo, tu razão – força com isso, amigo!, eu emoção e por isso à espera, aqui à frente desta folha branca em forma de texto, à espera que nada nenhum consiga vencer todo o tamanho dos meus sonhos. Por mais perfeito que pareça no papel.

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D