Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

20
Set07

O beijo.

Marco
O beijo não é um beijo. É o beijo. Não se dá, nem troca. Acontece. Não se repete, não se recria. É um instante desprovido de tempo e espaço, é um vazio completo, uma explosão, uma implosão. Acontece. É a fina distancia que separa o nada do tudo, a derradeira camada de consciência, o passo do eu para o nós, um só, ligados para sempre mesmo que por um ínfimo sopro de segundos fugidios. O beijo é o beijo. Não um beijo. Acontece como os cometas e como eles, foge para sempre, escondendo-se do mundo, para não mais voltar.

Dentro do beijo e não de um beijo, existe um terramoto devastador, existe a vida inteira, o passado, o futuro, sem tempo, parados para sempre. Acontece. Não se dá, nem troca. O beijo é o beijo. É uma jura eterna, sagrada, é toda a palavra certeza, toda a palavra felicidade, toda a palavra plenitude. No beijo, nada nos pertence, nada é nosso, somos despejados, ficamos vazios até que cheios, repletos, totais, infinitos, nessa partilha inexplicável que não acaba nunca, gravada num único toque que para sempre sempre.

O beijo não é um beijo. É o beijo. Não se encontra, nem se partilha. Acontece. É um desígnio, um acaso do acaso que acaso nenhum. Não se planeia, não se imagina. Sente-se. Brota. Rebenta. Sim, o beijo explode-nos na alma. Devasta-a, enche-a. O beijo transborda-nos, leva-nos ao fim do mundo e para lá dele, a esse sítio secreto onde por certo se escondem todos os cometas. O beijo consome-nos, gasta-nos, leva-nos aos poucos. Acontece. É a soma de todas as palavras, o depósito de todas as esperanças. O beijo não é um beijo. É o beijo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D