Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

05
Jul07

No lugar da incerteza.

Marco
É estranho este sítio. Fechado dentro de um silêncio ruidoso, onde vozes me puxam com a força de um Hércules enraivecido com a vida. Tenho os braços esticados – será que podiam fazer menos força?, esticados demais, sinto-me em ruptura, vergado ao peso impossível das coisas que têm de ser, porque inevitáveis, postas à minha frente para mim, gritando o meu nome nesse silêncio de que falo, as tais vozes e o Hércules, neste sítio estranho onde estou agora, a meio caminho entre a certeza e a falta dela.

Como diz o meu amigo Filipe, a vida às vezes parece um pião de madeira lançado por uma corda – confesso que nunca soube como fazê-lo, girando sobre si mesmo e podendo cair a qualquer hora... para qualquer lado. Aparentemente tudo certinho, cheio de força, convicto de todas as voltas, sempre disposto a mais uma, e outra, e outra, para depois já nada, caído num qualquer lugar, de certo tão estranho como este agora aqui, parado, à espera que a corda de novo, e de novo certinho, cheio de força, convicto, ainda que noutro sítio.

Preso às palavras que sabia um dia ter de dizer, saboreio este meu último silêncio com o peso de cada letra a remoer-se-me na barriga, dando a sensação de adeus a todos os segundos que passam por mim. Observo o que me rodeia já com a saudade de um fado inesquecível, calo as vozes que me gritam e finto o Hércules, fugindo-lhe escadas acima, onde me espera o peso da inevitabilidade. Gire o pião para onde girar, que a sorte o leve para o melhor dos caminhos e que pedra nenhuma o faça tropeçar antes de tempo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D