Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

26
Mar07

Não vias tudo.

Marco
Nunca me conheceste, não soubeste quem eu era, apenas o que julgavas que vias, mas não vias, não vias tudo, vias só parte, o visível, a parte de fora daquilo que sou, por isso te digo que nunca me conheceste porque nunca viste tudo, apenas o que julgavas que vias, percebes? Conheces uma imagem de mim, apenas uma imagem de mim, incompleta, feita de gestos incompletos, palavras incompletas, passos incompletos. Conheces-me a meio caminho entre o que julgas que sou e o que sou de verdade.

Tenho a certeza que neste momento não me sabes aqui, a escrever estas palavras todas, a pensar nisto tudo do que sou e do que julgas que sou, não me sabes, não me conheces nem nunca conheceste, se calhar julgas-me longe ou então nem sequer isso, eu completamente ausente de dentro de ti, esquecido a um canto, no canto onde me deixaste. Mas eu estou aqui e gosto de pensar nestas coisas, gosto de me interrogar, de ir ao fundo das questões, sou pouco dado às superfícies e às aparências.

Nunca me conheceste, não soubeste quem eu era, ficaste-te pela metade ou se calhar nem metade, apenas a pequena parte que se vê, o resto ficou comigo, estava (e está) tudo cá dentro, guardado para um dia, quem sabe, não sei, não faço qualquer ideia, logo se vê, não conheço o futuro, não sei o que me reserva, só sei que por agora, no momento em que despejo estas palavras, o presente é ausente, cheio de dúvidas e incertezas embora nada que retire a sensação de que nunca me conheceste, não soubeste quem eu era.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D