Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

07
Fev07

Olhares.

Marco
Imagens turvas. Um olhar turvo. Desfocado. A visão de repente mais curta, mais escassa. Um olhar menor, confuso. A realidade toda ela alterada, vista hoje de outra forma. Luzes inexistentes a brilhar, dentro de um olhar que se perde aos poucos, pedindo descanso, pedindo escuridão. Um olhar trémulo, já frágil, tão frágil. Perdido numa noite calada, sem sons que a pintem, que a polvilhem de vida. Uma noite em que o mundo por certo, decidiu parar.

Fora destas paredes devem haver pessoas. Imagino-as nas suas vidas, dentro das paredes que as separam de mim. Fechadas nos seus mundos, também eles parados neste instante. Milhões de mundos parados. Desconhecem-me. Não sonham o meu olhar turvo, repleto de luzes. Nem sequer imaginam estas palavras que lhes dedico a saírem-me agora sem qualquer travão. Apenas existem viradas para si mesmas, dentro de sim mesmas.

Volto ao meu mundo e logo me ausento para longe. Paro no Alentejo, no lugar de Porto Covo. É este o som que me envolve. As imagens, essas, são mais antigas. Eu era novo, muito novo e sonhava ser rei dos matraquilhos. Queria fazer castelos na areia e no fim do dia tomar banho numa cascata que existia na praia. Está fresca a água que me escorre pelo espírito. Limpa-me o sal do mar, deixa-me como novo, tirando as luzes que se me acendem dentro dos olhos, turvando-me todas as imagens. Nesta noite.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D