Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

29
Jan07

Por entre silêncios.

Marco
Fechou a porta. Teve de o fazer, embora contrariado, vergado a uma lei que o transcende e ultrapassa. Ainda antes, numa fracção de segundo que cedo se evaporou, ouviu com estrondo o elevador a despedir-se e descer lentamente para longe de si, perdendo-se na noite. Depois a porta, finalmente a porta, a fechar-se, como um muro, uma barreira alta, sempre tão difícil de transpor. O silêncio da casa vazia. O silêncio do mundo longe do mundo, à parte do mundo, maior do que o mundo.

Lá fora a chave na ignição, o motor, o arranque, a distancia. Uma estrada a crescer a cada instante, um caminho a desenhar-se maior à medida que os dois pontos que lhe deram origem ficavam cada vez mais longe um do outro, como um tapete que se desenrola infinito. Para trás, ficavam breves instantes de tempo cheio agora a existir vazio, fechado por uma porta que bateu, seca, na noite. Novamente a estrada, a crescer. Novamente o silêncio do mundo, à parte do mundo, maior do que o mundo.

Os passos lentos dentro da casa vazia. Um após o outro, acompanhados com pensamentos de tristeza, de saudade, de esperança, de memória. Os objectos, todos eles familiares, todos eles testemunhas de uma vida inteira ali vivida. Uma porta. Uma porta que atravessara e fechara milhares de vezes agora intransponível, delimitando a fronteira entre os sonhos a uma realidade que lhe fugia, inevitável, estrada fora, para longe de si. E novamente o silêncio do mundo, à parte do mundo, maior do que o mundo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D