Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

26
Dez06

Recebi um sorriso.

Marco
Papel. Papel colorido, com este e aquele desenho. Papel esticado, dobrado nas suas pontas e preso nas suas juntas por pequenos pedaços de fita cola. Papel com a missão de encobrir para permitir descobrir o que nele se esconde. Papel rasgado, amachucado. Esquecido. Papel morto, inútil, amontoado a um canto. Escondido. Abandonado. Para sempre. Papel feito lixo, feito nada.

Prendas. Prendas de todo o género e feitio. Prendas compradas para agradar, para colmatar, ou simplesmente não falhar. Prendas que se transformaram no epicentro deste terramoto chamado Natal e cujas ondas de choque se propagam por todo o lado. Prendas hoje, muitas vezes esquecidas amanhã. Mas prendas hoje e por isso Natal e assim sorrisos e mais sorrisos e ainda bem que assim é.

Sorriso. Um sorriso. Um sorriso que não vinha embrulhado em nenhum papel colorido. Um sorriso aberto, vivo, capaz de atravessar a distância do mundo, capaz de furar betão, capaz de inundar todos os oceanos. O tal sorriso das covinhas. Um simples sorriso que se tornou na mais bela de todas as prendas. Valeu a pena esperar por ele. Valeu a pena furar a noite e ir ao seu encontro. Ainda agora o recordo. Parece que o estou a ver. Como era belo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D