Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

21
Dez06

Ser cúmplice.

Marco
Houve um dia em que ele jurou a si mesmo: vou escrever. Escrever tudo. Vou escrever a minha vida, o que sou, o que penso, o que me acontece e o que faço acontecer. Vou pegar numa folha de papel e eternizar-me em letras e palavras que me escrevem mais a mim do que eu a elas. Vou tornar-me história, transformar-me em memórias que assim jamais poderão ser esquecidas ou apagadas. Vou passar a existir em todos os dias do presente e do passado.

A partir desse momento, sempre que o sol se punha e os dias já mais não eram do que uma enorme sombra de si mesmos, sentava-se a uma mesa em silencio. Tentava lembrar-se do que acabara de viver, que episódios, que sentimentos, que peripécias. Passara a estar muito mais atento a si mesmo, como que registando tudo para depois tudo depositar naquelas que eram as suas palavras da sua vida. Literalmente.

Certa noite, ao chegar a casa, cansado depois de mais um dia de trabalho, sentou-se e começou a escrever. Queria escrever mais do que nunca. Queria escrever tudo o que sentia. Queria descrever-se cá fora como estava por dentro. Utilizou todas as palavras que sabia. Compôs o mais belo de todos os seus textos. Não pela beleza estética, mas por tudo o que significava para si. Quando acabou, suspirou, leu-se a si mesmo e sorriu. Dizia assim:

SER CÚMPLICE
Ser cúmplice...
Ser cúmplice é sorrir o mesmo sorriso
É chorar as mesmas lágrimas
É ver em conjunto
É sonhar a duplicar
Ser cúmplice...
Ser cúmplice é viver a partilhar
É olhar o mesmo luar
É sonhar o mesmo sonho
É escrever o mesmo conto
Ser cúmplice...
Ser cúmplice é falar sem falar
É fazer sem esperar
É amar, amar, amar
É gostar de simplesmente estar.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D