Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

20
Nov06

Ele e a neblina.

Marco
Ele dizia sempre que essa manhã havia de chegar. Esse era o seu argumento e mais do que isso, a sua esperança. Repetia-o vezes sem conta perante tudo e todos. Mesmo quando lhe diziam esquece, essa manhã nunca vai existir, nunca vai chegar. Prontamente abanava a cabeça, tapava os ouvidos e saía a correr para a rua, onde com mágoa constatava um nascer de dia igual a todos os outros. Triste, cinzento, nublado. Cheio do mesmo nevoeiro que há meses lhe turvava a vida.

Não se recordava ao certo do primeiro dia de névoa. Como nascera, porque nascera. Sabia-a apenas lá, todas as manhãs no raiar de cada dia. Sabia-a lá em vez daquela visão que tivera uma, duas três vezes e que não conseguia esquecer. A visão pela qual se apaixonara. Chamavam-lhe sonhador, idealista, louco, sim alguns chamavam-lhe de louco, mas ele não ligava. Continuava a falar daquelas manhãs em que o sol lhe aquecera a face com o mesmo entusiasmo, com o mesmo brilho nos olhos.

Era esse entusiasmo e esse brilho nos olhos que levava consigo todas as noites para mais um adormecer. Mais uma noite de sono guiada pela esperança do reencontro, desta vez em definitivo, com o sol da sua vida. Dormia quase que à pressa, sonhava, tornava a sonhar e ao amanhecer, corria para a rua com o coração aos pulos, na esperança de sentir o seu calor a embater-lhe na cara. Era assim todas as noites, todas as manhã. Como na de hoje. Olho a janela, e lá está ele, pelas ruas, tentando vencer a neblina.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D