Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

26
Mai08

Chila, este é para ti.

Marco

A franja lisa que se equilibra mesmo por cima dos olhos pinta-lhe no rosto uma inocência que comparo à dos dias longos em que de tarde era feliz a ver o agora escolha, acreditando que aquelas cidades de ouro eram a sério e eram tudo aquilo que queria descobrir um dia mais tarde, quando fosse já grande e pudesse sair estrada fora sem ter de faltar às aulas de meio físico e social, educação física e outras que na altura eram o meu emprego e que tanto tempo me consumiam a mim, rapaz aplicado em ser o mais competente e verdadeiro de todos os Indianas Jones desta vida.

De modo que a franja fez-me acima de tudo acreditar, o que diga-se, é bastante saboroso, embora custe sempre aqueles jantares de toda a gente com toda a gente sedenta de um olhar, de um gesto, de um momento para gravar nas recordações que ficam do lado de cá, com aqueles a quem a vida desvia de aventuras mais gloriosas, calhando-lhes em sorte filas de trânsito, pessoas que se acotovelam, algo tristes, algo esquecidas de si mesmas, correndo empenhadas em derrotar um passar de tempo sempre impossível de contrariar, por maior que seja a habilidade.

E assim naquela noite em que a franja esvoaçou uma última vez antes do check- in, lembrei-me que os grandes heróis são assim mesmo, não têm nunca lugar fixo, incapazes que são de resistir a uma nova e ainda mais difícil aventura e por isso mesmo não me chateei, bem pelo contrário, sorri-lhe, abracei-a e corri para casa, onde me sentei e onde todas as tardes espero, à frente da televisão, o agora escolha, para poder ver cada detalhe dessa tua aventura na cidade de ouro que te recebeu de braços abertos, orgulhosa que está por ser nela que depositas os teus sonhos. Nós, claro está, sonhamos contigo!

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D