Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

20
Set07

O beijo.

Marco
O beijo não é um beijo. É o beijo. Não se dá, nem troca. Acontece. Não se repete, não se recria. É um instante desprovido de tempo e espaço, é um vazio completo, uma explosão, uma implosão. Acontece. É a fina distancia que separa o nada do tudo, a derradeira camada de consciência, o passo do eu para o nós, um só, ligados para sempre mesmo que por um ínfimo sopro de segundos fugidios. O beijo é o beijo. Não um beijo. Acontece como os cometas e como eles, foge para sempre, escondendo-se do mundo, para não mais voltar.

Dentro do beijo e não de um beijo, existe um terramoto devastador, existe a vida inteira, o passado, o futuro, sem tempo, parados para sempre. Acontece. Não se dá, nem troca. O beijo é o beijo. É uma jura eterna, sagrada, é toda a palavra certeza, toda a palavra felicidade, toda a palavra plenitude. No beijo, nada nos pertence, nada é nosso, somos despejados, ficamos vazios até que cheios, repletos, totais, infinitos, nessa partilha inexplicável que não acaba nunca, gravada num único toque que para sempre sempre.

O beijo não é um beijo. É o beijo. Não se encontra, nem se partilha. Acontece. É um desígnio, um acaso do acaso que acaso nenhum. Não se planeia, não se imagina. Sente-se. Brota. Rebenta. Sim, o beijo explode-nos na alma. Devasta-a, enche-a. O beijo transborda-nos, leva-nos ao fim do mundo e para lá dele, a esse sítio secreto onde por certo se escondem todos os cometas. O beijo consome-nos, gasta-nos, leva-nos aos poucos. Acontece. É a soma de todas as palavras, o depósito de todas as esperanças. O beijo não é um beijo. É o beijo.

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D