Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

19
Set07

O paraíso perdido.

Marco
Caíram anjos negros dentro de um paraíso perdido, repleto de almas ardentes sob o feitiço da lua, ali omnipresente, quem sabe atraído pela multidão furiosa, sedenta de uma luz que não chegou nunca, num tempo decadente e triste. Olhando em redor, era possível ver a crença generalizada nos profetas que engolidos pela preguiça, se deixaram apenas fluir a si mesmos, sem fé, sem vontade, sem chama. Apagados, feitos cinzas que voaram ao vento, noite dentro, sem rumo, nem futuro.

O paraíso perdido. No regresso, uma voz. Lara. Enfiada dentro de uma frequência de rádio, emprestando um pouco de amizade em palavras suaves, ditas no tempo certo, qual chazinho para almas, caídas, tristes, solitárias. Impressionou-me uma senhora que resumia toda a sua felicidade na palavra reencontro. Queria rever uma amiga de escola, ida há mais de trinta anos. Só isso ou tudo isso igual a felicidade. Nada mais. De resto, apenas solidão e tristeza numa existência sofrida de tão vazia.

Penso na felicidade. Na minha e não só. Conheço-a. Sei onde está, onde vive. E penso: o que tem que ser, não tem que ser, só porque tem que ser. Não tem que ser. Não tem mesmo. E a felicidade mesmo ali, num reencontro que não acontece e a Lara a prometer que ajuda, que fará o que puder e que mal tenha notícias avisará. O paraíso perdido, repleto de anjos caídos, quem sabe à procura de um momento feliz, numa crença verdadeira que voou noite dentro, à boleia de uma brisa fria que a Lara infelizmente, não conseguiu evitar.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D