Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

04
Set07

Os quatro.

Marco
Há muito que não o fazíamos os quatro. Anos de intervalo que nada justificam, desculpa barata, o tempo que parecemos nunca ter, feito razão para tudo o que não acontece porque na verdade a preguiça e o comodismo, sim esses mesmos que nos colam a sofás inúteis, silenciosos. Naquele dia, nós, de novo, juntos para a posteridade, os quatro ali, alinhados, abraçados, num momento que se gravou, um pedaço de tempo que o será para sempre, mesmo depois de nós e dos outros que vierem a seguir.

Tinha saudades de nós os quatro. Coisa simples, mas tão rara nos dias de hoje. Tinha saudades de nós à mesa, como sempre foi, ali em conversas banais, ao sabor de uma sardinhada à antiga, com as escamas a saírem como casacos, queimando a ponta dos dedos, em momentos de pura cumplicidade. A sermos apenas nós mesmos. Uns para os outros. Uns com os outros. Acho que só assim nos completamos, quando os quatro, juntos, perto, sem distancias, com tempo para nós mesmos.

Não sei como terá ficado aquela fotografia. Não sei se centrada, se focada. Não sei. Mas quero vê-la, quero tê-la e guardá-la. Quero aquele pedaço de tempo em minha casa, quero poder olhar para ele e recordar-nos de novo aos quatro, os de sempre, para sempre, juntos, abraçados a sorrir. Quero sentir se calhar o aroma daquela sardinhada, o quente na ponta dos meus dedos, os mesmos com que segurarei ternamente a moldura, os mesmos com que vos abracei naquele Sábado que me parece já tão distante! Devem ser as saudades. São de certeza.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D