Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

22
Mar07

Palavras sem remédio.

Marco
Senhor Doutor, não sei o que se passa comigo, as palavras saem-me tristes, dolorosas, pesadas. Arranham-me a alma, quase a ferem, saem-me desoladas, chorosas, saudosas. Sabe, gostava de escrever o calor do sol, a sua luz, aquela energia toda que nos chove em cima e também o mar, a sua força e imensidão, ou o céu, já viu hoje o azul do céu? Gostava de o pintar nas minhas palavras, gostava tanto, mas quando tento não encontro essas cores, parecem fugir, esconder-se de mim. Sai-me apenas um negro opaco, disfarçado de palavras.

Minha senhora, eu não sou médico das palavras. Bem que gostava de saber curá-las, se soubesse seria o primeiro a transformar dor em alegria, saudade em encontro, adeus em olá, morte em vida. Nem imagina, se eu pudesse curar as palavras, transformava impossível em realidade, guerra em paz, lágrimas em sorrisos, ausência em presença. Conheço os segredos da medicina, dos medicamentos, das doenças e no entanto as palavras, tantas palavras dolorosas, ásperas sem que eu nada possa fazer para as aliviar.

Não me diga que não me pode ajudar, não me diga que não sabe curar as minhas palavras, não me diga que me vão continuar a atormentar, não me diga que o sol vai continuar encoberto, não me diga que vai continuar a ser noite nos meus dias, não me diga por favor não me diga. Senhor Doutor, o que se passa com as palavras? Será que perderam o encanto? Será que tenho de colocar um ponto final nos meus textos? Será que tenho de fechar este livro? Será que tenho de desistir das palavras? Logo eu que tanto gostava de as pintar com as mais belas cores...

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D