Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

Deep Silent Complete

"Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridiculas...e nas palavras mais belas... Transformo-me todo em palavras." - José Luís Peixoto

06
Mar07

O inventor.

Marco
Quem olhava para ele dificilmente se enganava. Só podia ser inventor. Os longos cabelos brancos, já secos da idade avançada – será que todos os inventores nascem já velhos?, a sua pele repleta de vincos e o seu olhar focado em coisa nenhuma. Ou em tudo ao mesmo tempo. Não se sabe. Ninguém sabe. Apenas ele, sonhador acordado, eterno questionador de tudo o que lhe era apresentado como facto.

O seu retiro era um amontoado de papeis toscamente rabiscados. Pilhas de livros velhos vindos sabe-se lá de onde. Um enorme estirador onde passava horas a experimentar as coisas mais inacreditáveis. Combinações impossíveis. A luz, essa, era tímida, pedindo licença para pular janela a dentro e espalhando-se devagar, insuficiente pelos espaços desarrumados. E o inventor, claro, mergulhado dentro do seu mundo.

A sua vida era solitária. Nada parecia interessar-lhe. Nem o sol radioso, nem o cantar dos pássaros, nem o rebentar das ondas do mar, nem o sorriso das crianças, nem as conversas de ocasião, nada. Apenas as suas invenções improváveis, imperfeitas. Refugiava-se nelas. Passava assim o seu tempo, numa busca permanente, incessante. Até ao dia em que saiu de casa manhã cedo, cabelo cortado e penteado, dando vivas a toda a gente que consigo se cruzava.

Tinha finalmente conseguido. Reinventara-se a si mesmo.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D